Últimas Notícias

11/09/2020

Ministério da Justiça dá 5 dias para cadeia de distribuição justificar preços de

Em meio a um cenário de elevação nos preços de alimentos básicos como arroz e feijão, o Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), notificou um grupo de empresas e associações ligadas à produção e distribuição de alimentos. Elas terão prazo de 5 dias para responder aos questionamentos do governo federal.

Para Juliana Domingues, titular da secretaria, as notificações se justificam para identificar a causa dos reajustes, sobretudo do arroz. "Não podemos falar em preços abusivos sem antes avaliar toda cadeia de produção e as oscilações decorrentes da pandemia”, afirmou.

Por outro lado, analistas ouvidos pelo jornal Valor Econômico acreditam que a iniciativa é mais "para inglês ver", sem possibilidade de efeitos práticos como um eventual tabelamento de preços. No fim do dia de ontem (9/9), o presidente Jair Bolsonaro declarou que não haverá intervenção do governo no mercado.   

Supermercados notificados pela Senacon terão de listar os itens da cesta básica que tiveram maior reajuste no último mês, além de mencionar os fornecedores e informar o preço médio praticado por eles nos últimos 6 meses.   

A principal decisão do governo federal para conter elevação no preço do arroz foi a retirada da taxa de importação do alimento, iniciativa elogiada pela Associação Paulista de Supermercados (Apas), segundo a qual a decisão "não reduzirá os preços para patamares do início do ano, porém pode atenuar o aumento". 


ASPB - Associação de Supermercados da Paraíba
Av. Duque de Caxias, 20 Centro - João Pessoa - Paraíba | Fone: (83) 3221-9047
© Copyright 2008 - 2020 - Todos os direitos reservados