Últimas Notícias

31/01/2020

Araraquara e região criam 6,1 mil vagas de emprego em 2019, segundo balanço do

Araraquara (SP) e outros 29 municípios da região criaram 6.136 novas vagas de emprego com carteira assinada em 2019, segundo balanço do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O resultado é melhor do que o de 2018, quando foram criados 1.806 postos de trabalho, mas é bem abaixo da prévia dos três primeiros trimestres, quando o saldo era de 18.138 vagas criadas entre janeiro e setembro.

Araraquara foi o município que mais criou vagas: 1.284, sendo que 84,2% delas foram nos setores de administração pública (372 vagas), serviços (380) e indústria (329). Apenas o setor de agropecuária fechou vagas e terminou o ano com 39 postos de trabalho a menos.

Com 1.092 empregos gerados, Matão foi o segundo município da região com mais vagas novas. O setor que mais abriu postos de trabalho foi a agropecuária, com 1.171. O comércio foi o setor que mais demitiu e terminou o ano com um saldo de 113 empregados a menos do que em 2018.

Pirassununga foi o terceiro município em geração de emprego na região em 2019, com 845 novas vagas, sendo que 520 delas foram na agropecuária. O comércio foi o setor que mais demitiu e fechou 52 postos de trabalho no ano.

Maior município da região, São Carlos criou 299 empregos em 2019. O setor que mais contratou foi o de serviços, com saldo de 352 novas vagas, mas o município perdeu vagas na indústria, com o fechamento de 259 postos de trabalho.

Dos 30 municípios em que o Caged faz levantamento na região (a pesquisa não é feita em municípios com menos de 10 mil habitantes), seis cidades fecharam o ano com saldo negativo em vagas de emprego: Ribeirão Bonito, Rincão, Santa Cruz das Palmeiras, Santa Rita do Passa Quatro, São João da Boa Vista e Tapiratiba (veja tabela abaixo).

O economista Marcos Bernasconi acredita que o processo de reformas pelo qual o país passa pode fazer de 2020 um ano melhor.

"A recuperação de empregos começou a ser efetiva no segundo semestre de 2019. Se espera que em 2020 que essa recuperação seja maior. É lógico que quando falamos em previsões nunca sabemos o que pode acontecer, mas é possível que tenhamos um ano melhor", disse.

Foi o pior dezembro dos últimos três anos na criação de empregos na região, com o fechamento de 8.569 postos de trabalho (veja gráfico acima). Todos os municípios, com exceção de Américo Brasiliense e Tambaú, tiveram mais demissões que contratações.

O pior resultado foi de Santa Rita do Passa Quatro, onde 1.623 pessoas perderam o emprego. O G1 entrou em contato com a prefeitura, mas não conseguiu falar com um representante.

Rio Claro e Araraquara também tiveram um número grande de demissões e tiveram um saldo negativo no mês de 1.087 e 1.058 vagas fechadas, respectivamente. Em Araraquara o maior número de demissões foi no setor de serviços, com o fechamento de 767 vagas (72,5%).

Em Rio Claro, o setor de serviços também foi o que mais demitiu, com 458 vagas a menos (42,1%), mas a indústria e a administração pública também mandaram embora muitos funcionários: 391(36%) e 184 (16,9%), respectivamente.

Segundo Bernasconi, a região é bem diversificada e com grandes empresas, então pode haver uma oscilação grande nos números quando elas demitem ou contratam.

O economista disse que em cidades maiores como São Carlos, Rio Claro, Araraquara e Matão, o fluxo de trabalho depende dessas grandes indústrias. Quando elas vão bem, geram empregos também paras as médias indústrias que fazem manutenção, peças.

"São todas cidades industriais e têm suas sazonalidades próprias. Fica difícil fazer uma explicação sem entrar a fundo no que acontece nessas cidades. Uma indústria forte e grande retoma primeiro seu desempenho econÒmico em relação a uma média e pequena. Pode ser que essas cidades maiores se recuperem mais rápido em relação às menores", disse Bernasconi.   

ASPB - Associação de Supermercados da Paraíba
Av. Duque de Caxias, 20 Centro - João Pessoa - Paraíba | Fone: (83) 3221-9047
© Copyright 2008 - 2020 - Todos os direitos reservados